Hospital S. Sebastião: Número de internamentos subiu de 21 para 88

Número de internamentos subiu de 21 para 88

Ontem dia 6 de novembro, o Correio da Feira noticiava que o Hospital S. Sebastião tinha 88 doentes internados com Covid-19, sendo que, desses, 48 deram entrada nos primeiros três dias do mês de novembro. Com o concelho de Santa Maria da Feira a registar cerca de 700 casos ativos, Emídio Sousa revela-se preocupado e faz um apelo a todos os feirenses

Está a disparar o número de novos casos de Covid-19 em todo o território nacional, com Santa Maria da Feira a acompanhar o crescimento. De dia para dia, a situação agrava-se e o Hospital S. Sebastião ressente-se. Nos primeiros três dias do mês de novembro, a unidade hospitalar sediada em Santa Maria da Feira deu entrada ao internamento de 48 doentes por Covid-19, que se juntaram aos 40 doentes internados já existentes.

Assim sendo, no total, segundo dados revelados pelo CHEDV, encontravam-se no S. Sebastião, no dia 3 de novembro, “88 doentes internados: 76 em enfermaria e 12 em unidade de cuidados intensivos”. Trata-se de números muito mais expressivos do que os últimos revelados pelo Correio da Feira, referentes à meia-noite do dia 19 de outubro, aquando a administração do Centro Hospitalar de Entre Douro e Vouga (CHEDV), que tutela o S. Sebastião, nos revelou que se encontravam internados por Covid-19, 21 doentes: 17 em enfermaria e um em unidade de cuidados intensivos.

No espaço de sensivelmente duas semanas, o número de internados mais do que quadruplicou, o que levou a administração tomar medidas e a contratualizar “o internamento para 30 doentes não-Covid numa unidade hospitalar privada”, sendo que, até ao momento, já transferiram “dez doentes” para a referida unidade no exterior.

Os esforços da administração não se ficam por aqui, com o CHEDV a revelar ao Correio da Feira,  que “já mobilizou três alas de internamento exclusivas para doentes com Covid-19” e criou “uma unidade com 12 camas de cuidados intensivos exclusiva para internamentos motivados pelo vírus SARS-CoV-2”. A administração reforça ainda que, “se necessário”, em ambos os casos, existe a “possibilidade de crescimento”. Apesar de a Covid-19 ser a doença ‘do momento’, o Hospital S. Sebastião acrescenta que não se tem descurado das demais, nomeadamente no respeitante às “cirurgias urgentes e oncológicas que têm decorrido sem adiamentos ou constrangimentos”.

Concelho de Santa Maria da Feira tem cerca de 700 casos ativos

A realidade vivida no Hospital S. Sebastião é o retrato do sucessivo aumento do número de infeções registadas no concelho de Santa Maria da Feira, que contabiliza atualmente “um número superior a 700 casos positivos”. O presidente da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira, Emídio Sousa, não esconde a preocupação perante estes números. “Nos últimos dez dias registámos um aumento de pessoas infetadas muito significativo, tendo, neste momento, Santa Maria da Feira um número superior a 700 casos positivos”. Uma situação que o presidente da Câmara diz que já equacionava face “ao aumento muito elevado de casos no centro da Área Metropolitana do Porto, que tem reflexos no nosso Concelho dadas as ligações negociais”.

Mas não é só o número de casos ativos no Concelho que inquieta Emídio Sousa, que denota igual preocupação com o “cansaço extremo dos profissionais de saúde”. “Os profissionais de saúde, sobretudo o que estão na linha da frente estão sujeitos a um esforço muito grande, quer em resultado dos períodos de trabalho sucessivos, quer devido às condições de trabalho que são muito exigentes. Estar com os equipamentos de proteção individual em permanência torna tudo mais difícil”, considera.

Perante o panorama atual, Emídio Sousa faz questão de deixar um apelo a todos os feirenses, para que estes números abrandem em prol da saúde pública e dos profissionais de saúde. “Cabe a cada um de nós, em todas as atividades do dia-a-dia, em trabalho ou convívio familiar, respeitar as regras. Se todos cumprirmos as regras de distanciamento físico, uso de máscara e higienização frequente das mãos, evitámos a propagação da Covid-19 e ajudámos os nossos profissionais de saúde e, consequentemente, o nosso hospital a manter a nossa capacidade de resposta. Reforço que o comportamento individual de cada um de nós é a resposta mais eficaz à situação atual. Só com um comportamento muito responsável é que poderemos responder eficazmente à pandemia”.

Santa Maria da Feira em confinamento parcial

Entraram em vigor, na última quarta-feira, as medidas adicionais para controlar a propagação da Covid-19, aplicadas a 121 concelhos portugueses, onde se inclui Santa Maria da Feira. Por ser considerado um dos concelhos “onde há risco elevado de transmissão da Covid-19”, até ao próximo dia 15, altura em que o Conselho de Ministros irá proceder a uma reavaliação das medidas, aplica-se aos habitantes feirenses um conjunto de medidas especiais, com destaque para “o dever de permanência em casa, exceto para deslocalizações autorizadas, como compras, trabalho, ensino e atividade física”.

Todos os estabelecimentos comerciais (à exceção de farmácias, consultórios e clínicas, funerárias, postos de abastecimento e rent-a-car) encerrarão até às 22h00 e os restaurantes não poderão ter mesas com mais de seis pessoas, tendo estes de encerrar às 22h30. Entre as restrições, espaço para a realização de eventos e celebrações com mais de cinco pessoas, exceto se forem do mesmo agregado familiar. Torna-se também obrigatório o teletrabalho. 

@Correio da Feira

Faça o primeiro comentário a "Hospital S. Sebastião: Número de internamentos subiu de 21 para 88"

Comentar