Cabe à administração central desenvolver apoios à sobrevivência dos estabelecimentos comerciais

Cabe à administração central desenvolver apoios à sobrevivência dos estabelecimentos comerciais

“Cabe à administração central desenvolver apoios à sobrevivência dos estabelecimentos comerciais”
Com a entrada em vigor do novo estado de emergência, estabelecimentos comerciais e de restauração encerraram no fim-de-semana passado, tardes e noites, e terão ainda de encerrar, pelo menos, este fim de semana.

No entanto, a Autarquia – julgando pelas palavras de Emídio Sousa – não tem em vista medidas de apoio excecionais para estas empresas. Segundo o presidente da Câmara, “dentro das nossas competências já tomamos as medidas de apoio possíveis, designadamente a utilização gratuita do espaço público para esplanadas, a isenção de taxas publicitárias e a não cobrança de rendas de espaços municipais concessionados”.

Para o edil esta matéria não é uma competência da Câmara Municipal, atribuindo ao Governo a responsabilidade. “Cabe à administração central desenvolver os mecanismos de apoio à perda de receitas, não só nestes fins-de-semana de recolhimento obrigatório, com perdas financeiras consideráveis, mas um verdadeiro apoio à sobrevivência dos estabelecimentos comerciais, independentemente da sua área económica, por um período temporal mais alargado”, considera.

O presidente da Câmara lembrou ainda os apoios concedidos desde o início da pandemia, nomeadamente “a Linha de Apoio ao Empresário, que continua em funcionamento, para ajudar não só a esclarecer as muitas dúvidas iniciais, mas também informar os nossos empresários sobre os diferentes mecanismos de apoio que o Governo foi lançando, como o regime simplificado de lay off, entre outras medidas”. Assim como as destinadas ao setor do turismo e da restauração, que se pautaram pela “capacitação dos empresários, dotando-os de ferramentas e de novos conhecimentos para se reinventarem, de forma inovadora e adequada à nova realidade de consumo, e ultrapassarem este período extremamente difícil”. O webinário ‘Retoma do Setor do Turismo’ e a sessão colaborativa ‘Go Digital’ no setor da Restauração, durante o Fórum Bizfeira, que culminou com a recente edição do Book Go Digital para a Restauração – um guia de boas práticas para apoio à restauração, disponibilizado pela Autarquia a todos os estabelecimentos de restauração e bebidas Concelho são dois dos exemplos.

No final deste mês, a Câmara Municipal em parceria com a Associação Empresarial da Feira, irá também dinamizar uma ação de formação sobre economia digital personalizada para restaurantes e bares. Por último, a iniciativa ‘Natal Presente’ que pretende, “acima de tudo, promover o comércio local e ligar todo o concelho em torno da magia do Natal”

@Correio da Feira

Faça o primeiro comentário a "Cabe à administração central desenvolver apoios à sobrevivência dos estabelecimentos comerciais"

Comentar